Once you get this you must share five random facts about yourself. Then pass this on to your ten favorite followers.♡

-faço coleção de canecas
-durmo melhor se estiver agarrada a algo (um pedaço de lençol, uma pessoa, um peluche…)
-tenho muitos cabelos brancos (isto é, demasiados para a idade que possuo)
-gosto de andar descalça por todo o lado, não me importando muito sobre onde meto os pés
-costumo soprar para o nariz dos meus cães até eles desistirem e começarem a lamber o nariz e também de fugir deles, escondendo-me atrás do carro, até que eles começam a ladrar de desespero (sendo que nos dois casos depois compenso-os com muitos mimos)

Hoje sou uma navegante da lua simplesmente porque tenho uma lua no pulso (ou seja, porque posso).

Hoje sou uma navegante da lua simplesmente porque tenho uma lua no pulso (ou seja, porque posso).

Sunday, April 20, 2014

Após ter tido uma daquelas conversas com a minha mãe que se encontram categorizadas por exclamar sempre que não gosto de as ter à noite (pois preciso de dormir), mas também por referir o facto de ter consciência de que de manhã não conseguiria estar tão fluente, por precisar de estar embriagada de sono; e de acabar sempre por chorar, desculpando-me dizendo que no momento a seguir poderia estar a rir.
Bem, estou a referir isto aqui para mais tarde me lembrar daquilo que sou e como combater aquilo que me destrói (apesar de ser algo que é gerado por mim). Adiante.

Triângulo de problemas que me seguirá até ao último bater de coração:
distúrbios com peso,
achar-me sempre burra/aquém daquilo que podia dar/ser,
solidão.

Tudo aquilo que eu verdadeiramente sofrer advirá de conflitos internos gerados por isto. Por pouco mais que isto. Como tal, a quem encontrar a cura e souber aplicá-la uma vez, congratulo-a/o,
pois das vezes seguintes bastará repetir a essência do processo. Ou seja, dizer o mesmo com palavras e construções frásicas diferentes / formular a mesma intenção com diferentes gestos.
Bastará para mim.

Nunca tinha recebido tanto chocolate na Páscoa como hoje aconteceu. Creio que suspeitam que a universidade requer muitos anti-depressivos, porém esquecem-se que o chocolate faz crescer. Para os lados. E tal é algo que não preciso.
Mas,
viva a família e óptima Páscoa para toda a gente (sejam ou não religiosos afincos) :3

Nunca tinha recebido tanto chocolate na Páscoa como hoje aconteceu. Creio que suspeitam que a universidade requer muitos anti-depressivos, porém esquecem-se que o chocolate faz crescer. Para os lados. E tal é algo que não preciso.
Mas,
viva a família e óptima Páscoa para toda a gente (sejam ou não religiosos afincos) :3

Saturday, April 19, 2014

Consegui fazer com que o meu pai abandonasse o seu hábito de ir para a cama antes das 22h30; a minha mãe prescindisse de ir dar as suas arrumadelas finais e pô-los muito entretidos a ver televisão. Não era nenhum canal em especial (cá só temos quatro e mesmo assim questionamo-nos para que queremos tantos se tão pouco se aproveita). Ficámos cerca de uma hora a ver episódios de Tom&Jerry que tinha sacado para ver quando me quisesse distrair, sem necessitar de puxar pela cabeça. Resultou! Cada episódio de oito minutos passava, com duas ou três gargalhadas metidas pelo meio, sem que nos apercebessemos da sua duração…. Um bom serão que antecipa a temporada das despedidas (e fim de férias).

Após seis dias, tive um pequeno sangramento. Coisa pouca.

Thursday, April 17, 2014

Férias que deveriam ser para descansar,
mas que só servem para me angustiar.

Sunday, April 13, 2014

Hoje aprendi que quem brinca com o fogo, queima-se.

Dentro de momentos terei uma descarga hormonal cavalar, vamos ver como é que isto é.
Tuesday, April 8, 2014

E embora saiba que tu abomines estas mensagens todas cheias de carácter carismático e metafórico,
eu insisto.
Ou melhor, tento escrever,
mas não consigo. O facto de tu abominares a escrita que melhor retrata o que/quem sou invade-me constantemente o pensamento (chegando até mesmo a cortar por completo a veia de inspiração).
Deixa-me pôr-te esta questão de unicidade,
sou só eu que meto em causa o facto de tu me estares a fazer mal? (No teu caso aplica-se como ‘eu estar-te a fazer mal’).
É que sempre que te deixo de ver por um determinado período de tempo, uma raiva/frustração começa a despoletar dentro de mim. Sinto-nos tão diferentes. Com objectivos e perspectivas que divergem em muito. Mas afinal o que nos une? Apenas a necessidade física que advém da satisfação e do facto de pensarmos que alguém ‘gosta’ de nós?
Estou perdida quanto a isto.

Que nunca me deixe conformar:

se não tenho o que penso merecer,

o que tenho, na verdade, não possuo. Finjo apenas que possuo.

Portanto uso e sou usada, apenas como um bem material.

Sunday, April 6, 2014

Perdoa-me por gostar cada vez mais do teu braço sobre mim.

Thursday, April 3, 2014

A verdade é que vim para aqui escrever,

bater com os dedos nas teclas,

pois a muito contragosto de quem possa vir a ler isto eu preciso de o registar.

Por vezes tenho uma vontade enorme de começar um relacionamento com alguém que seja um bom par de anos mais velho que eu. Quiçá uns cabelitos brancos me fizessem bem à alma (na verdade isso verifica-se: há um rapaz no meu curso que tem o cabelo castanho escuro com umas manchas dispersas……lava-me a vista!).

Contudo sinto-me mal ao escrever isto e não o faço por inteiro.

Lembra-te que gosto muito de ti Bleeker.

Digo isto porque sei que inevitavelmente vais ler isto e eu não te quero magoar.  A sério que não. Mas estas são as consequências de o meu tumblr ser ‘conhecido’.

A semana passada foi caótica de tal modo que nem consigo bem descrever. Quer dizer, conseguir até conseguia. A verdade é que não me apetece. Talvez mais tarde volte cá para postar, pois no fundo enriqueci o meu livro de histórias-sobre-a-minha-vida-académica.

Monday, March 31, 2014

♡ vanillla afternoon ♡

Sunday, March 30, 2014

No outro dia, a caminho das compras, passei por um mendigo, que me começou a chamar. Não de uma maneira agressiva ou perversa. Apenas chamava como se precisasse algo que não tinha. Não lhe liguei muito. Contudo, quando estava no supermercado, resolvi comprar um saco com pães para lhe dar. Quando o fiz, ele rapidamente agarrou a minha mão e beijou-a, agradecendo.

Ora quem diria, que a primeira pessoa a beijar-me a mão seria um mendigo.

 
Next page